22.12.08

Sacrilegio

Universidades aceitam dissertações e teses fora do formato convencional
O Estado de S. Paulo - 20/12/2008 -
por Simone Iwasso
Desafiando a tradição de formatos e metodologias quase sagradas e abençoadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), universidades brasileiras têm aceitado dissertações de mestrado e teses de doutorado na forma de romances, ensaios autobiográficos, roteiros e textos experimentais que resvalam na ficção e na criação literária. A repercussão aparece em extremos: há os entusiastas da flexibilização e os que defendem como imprescindível a manutenção dos moldes acadêmicos tradicionais. A prática, que vem ocorrendo há alguns anos nas áreas de Literatura, Educação, Psicologia e Ciências Sociais, ganhou mais visibilidade neste ano, após dois finalistas do Prêmio Jabuti, na categoria melhor livro de romance, terem sido apresentados pouco antes como teses de doutoramento: Rakushisha (Editora Rocco), de Adriana Lisboa, e A chave de casa (Editora Record) [Vencedora do Prêmio São Paulo de Literatura, na categoria Estreiante], de Tatiana Salem Levy.