13.5.09

Ingo Schulze tira dúvidas sobre tradução
Deutsche Welle (Alemanha) - 10/05/2009 -
Por Nine Funke-Kaiser

Na Alemanha, uma iniciativa reúne autores e tradutores de vários países para debater dificuldades na tradução. Sentado diante de uma grande mesa, o escritor alemão Ingo Schulze é questionado por 18 tradutores de suas obras. Cada um deles têm um exemplar do romance Adam und Evelyn, um esboço da tradução para sua língua e uma infinidade de perguntas. O norte-americano John E. Woods, por exemplo, encontrou uma palavra que trouxe dificuldades para muitos tradutores: Adamsapfel [pomo-de-adão]. No romance de Schulze, essa não é qualquer palavra – é o protuberante pomo-de-adão que garante o apelido do herói da história. Mas essa associação não funciona em algumas línguas, como o islandês e o coreano. Os tradutores têm cinco dias para bombardear Schulze com perguntas, debater trechos de difícil compreensão e discutir sugestões de tradução. "É uma diversão ficar aqui sentado com todos os tradutores, como se fosse uma festa surpresa de aniversário", comenta o escritor.