21.10.08

Crise financeira não afeta negócios em Frankfurt
O Globo - 20/10/2008 - por Miguel Conde
A Feira do Livro de Frankfurt terminou neste domingo contrariando receios de que a crise financeira pudesse provocar uma queda brusca nos investimentos da indústria editorial. Ainda não há um balanço das vendas de direitos efetuadas durante o evento, mas até sábado 299.112 pessoas haviam passado pelos pavilhões da Reineckstrasse, um aumento de 5,6% em relação ao ano anterior. Também participaram desta 60º edição da Feira 510 agentes literários, um aumento de 8,2% em comparação a 2007. Antes que os números fossem divulgados, alguns editores já usavam indicadores menos ortodoxos para descartar boatos sobre uma diminuição do movimento, entre eles o tamanho da fila do táxi na hora de ir embora e o tempo necessário para conseguir um drinque à noite no Frankfurter Hof, hotel onde se reúnem os principais autores e empresários da Feira. Editores brasileiros se disseram satisfeitos, apesar do problema no envio dos livros que deixou as prateleiras do estande nacional vazias no primeiro dia (uma das caixas da remessa tinha uma inscrição de “perigo, líquido corrosivo”, o que fez com que todo material ficasse retido na alfândega em Madri).